Sábado, 23 de Agosto de 2008

„Amores longuinquos“...

Photobucket

 

Amores longuinquos

 

 

 

 

Mail`s impressos e escondidos nos bolsos

Telefonemas amorosos com a voz do coração

“Se a linha cair liga de novo hein!!!”

De quem é a voz que ouvi perto de ti?

 

E depois.....

 

E depois a vida que é sempre igual...

Os bilhetes de ida e volta são caros

Prefiro a minha privacidade

Mesmo com o petroleo sempre a aumentar

Aquele está a pedir boleia

“Espera que eu volto e levo-te hihihihi”

 

E depois...

 

E depois há tentações que parecem serpentes

A solidão passeia nua mas veste-se de emoções

As longas noites numa cama que sem ti é muito grande

Os sonhos e as promessas acendem-se dentro do peito

Num destes nascer do Sol faço a loucura

Acende o coração que o dia virá

 

E depois...

 

E depois tocar-se mesmo a sério com as mãos

Éssas cuécas com renda tornam-te sexy mas....é inevitavel

As pétalas de rosa deixam marcas nos lençois brancos

As tuas mãos são mais suaves do que imaginei

O sofá é comodo mas prefiro lençois com marcas de pétalas

Amar-se amar-se e amar-se...

 

E depois...

 

E depois somos corações longuinquos

Apaixonados acróbatas

Meu grande Amor onde estás?

Amor neste escuro que vida é?

Amor quanto me amas?

Estou numa cabine e tenho poucas moedas

“Se a linha cair liga de novo hein!!!”

 

Porque Amor.... sem ti não há Amor

 

 

 

Mané

 

 

 

Som: Prince-purple Rain

publicado por Frágil às 11:38
link do post | favorito
De Maria João Brito de Sousa a 26 de Agosto de 2008 às 11:45
Ó Frágil! Este Purple Rain faz-me lembrar eu, aqui há uns 16 ou 17 anos atrás, quando ouvia música de manhã à noite porque estava numa depressão desgraçada e sentia que a música me transportava para um mundo que não o real. No meu caso era porque tinha perdido um filho recém-nascido por pura negligência médica. E cantava. Cantava alto e bom som, estivesse onde estivesse. Já ninguém me podia aturar e eu compreendo bem que não era fácil...
Desculpa lá a "seca" do desabafo... eu sou assim mesmo. Quando "sinto" qualquer coisa, falo (ou escrevo) sem pensar.
O teu poema é lindíssimo, verdadeiro,mas um bocadinho amargo. Acho que foi isso que fez nascer estas palavras todas. Desculpa. Fico contente por ver que voltaste a postar.
Abraçuuuuuuuuuuu!


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


favoritos

*Laura c`è*

*Chamem a Policia*

*QUEEN*

*Vigaro cá Vigaro lá*

*Perfume Patchouly*

*Grease*

*Just an Illusion*

*Help*

Um anjo da guarda em carn...

Amar é....

pesquisar

 

Posts recentes

A cor das minhas palavras...

„Amores longuinquos“...

Pelos teus Olhos I...

Sexo...

Sem sentido...

Silêncio...

O Amor és TU...

As minhas lágrimas...

Corações fortes...

Amor em plena liberdade.....

A voz da razão...

Carta de Amor Xaparrense....

Carta de desamor, O Amor ...

Nós Romanticos...

Palavras...

Apocalypse...

O sabor de um beijo...

O Infinito...

"Regresso" (2)

O Regresso...

Neste mundo de ladrões...

As Mulheres sabem...

Em órbita...

A quatro olhos...

Com tudo o que temos mais...

Palavras perdidas...

Memories I...*Os dias do ...

Ausente/Presente...

Falta de Tempo...

PARABÉNS

Curta-Metragem...

Guilty pleasures ...

Onde nasce Sol...

Deixa-me RiR...

"Memoria em 6 palavras"

Ma...

Private Property...

Click Me...

Estrela...

Rebelde...

Welcome....Ki

Amores...

Poucas Palavras...

Bolota Luminosa...

O Amor...

Pelos teus olhos...

Guerra...

Calor Frágil...

Nas Nuvens...

Escultura...

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007