Quinta-feira, 24 de Abril de 2008

Amores...

.

.

„Amores“

 

 

 

Almas que vivem só por metade

Perdidas no dia de um inverno

Á espera do sol que virá

De um fogo vermelho para dançarem á volta

 

Almas queimadas num Adeus preso na garganta

Por uma outra historia fechada num inferno

Prontos a não apaixonar-se nunca mais

E com a certeza que sós não se sobrevive

 

Almas que escolhem o caminho de um amor...

De onde não se pode sair nunca mais

E por nada deste mundo mudam de ideias

Para se defenderem sem nunca se render

 

São amores grandissimos ou não

Violentos e romanticos

Que vivem e morrem dentro de nós

Amores abssolvidos por Deus

E julgados pelos homens

Amores que caíem e logo se levantam

Amores que perdem e são invenciveis

 

Amores que vivem em nós

E nos fazem morrer...

 

 

 

Mané

.

.

 

Som: Queen-Las palabras de Amor

publicado por Frágil às 23:50
link do post | comentar | favorito
11 comentários:
De Anónimo a 26 de Abril de 2008 às 17:32
Comentário apagado.


De Frágil a 27 de Abril de 2008 às 01:14
Oh Velucia....
Vamos pôr um ponto final neste ping pong de agressões verbais que a nada levam e eu nem sou tipo de alimentar estas "Pimbalhadas"...

É capaz de me dizer onde é que aqui existe alguma semelhaça ou coicidencia?!?!?!?!?, anadamos aqui a falar chinês ou o nosso portugues é mesmo diferente?!?!?!?!?

Vamos testar?!?!?!?!? aqui vai o seu "Poema" poema com ponto de interrogação?!???!?

tal tá a moenga hein!!!!!!!!!

******************************************
POEMA ?
Ah!
Como queria ter resposta!
Nesse mundo de meu Deus, almas afins, sabem lá o que me
deu!
Pensar igual, talvez, nem por isso diz Adeus!
Imaginação, você me faz ter! Não sou poeta, mas posso per-
ceber.
Alegria através da tela de um computador, ah sim, podes crer!
Espero que as almas não fiquem no irreal atrás do computador,
mas que os dois possam ter um real ninho de amor!
O tempo para as almas não existe no grande cosmos.
Desejo não tem idade!
Estas palavras saíram não sei como.
Digo, não sou poeta!
Mas você parece ser. Não sei se posso chamar de reflexões,
pensamentos, que nome pode dar, mas você pode avaliar.
Pois, você não coloca pontuação. Se for poeta, pra isso, deve ter
uma razão. Diga-me, isso talvez faça parte da solidão?
Ainda custo a entender. Por quê?
Pode me dar um motivo? Não em forma de paixão, mas com a
devida razão.
Para que você pense que isto tem uma razão, porque almas
afins, não se perdem na multidão!

*******************************************

Será que somos capazes de raciocinar?!?!?!?!?

vamos mas é acabar com o recrei, somos adultos hein!!!!!


De Frágil a 27 de Abril de 2008 às 01:14
recreio*


Comentar post

favoritos

*Laura c`è*

*Chamem a Policia*

*QUEEN*

*Vigaro cá Vigaro lá*

*Perfume Patchouly*

*Grease*

*Just an Illusion*

*Help*

Um anjo da guarda em carn...

Amar é....

pesquisar

 

Posts recentes

A cor das minhas palavras...

„Amores longuinquos“...

Pelos teus Olhos I...

Sexo...

Sem sentido...

Silêncio...

O Amor és TU...

As minhas lágrimas...

Corações fortes...

Amor em plena liberdade.....

A voz da razão...

Carta de Amor Xaparrense....

Carta de desamor, O Amor ...

Nós Romanticos...

Palavras...

Apocalypse...

O sabor de um beijo...

O Infinito...

"Regresso" (2)

O Regresso...

Neste mundo de ladrões...

As Mulheres sabem...

Em órbita...

A quatro olhos...

Com tudo o que temos mais...

Palavras perdidas...

Memories I...*Os dias do ...

Ausente/Presente...

Falta de Tempo...

PARABÉNS

Curta-Metragem...

Guilty pleasures ...

Onde nasce Sol...

Deixa-me RiR...

"Memoria em 6 palavras"

Ma...

Private Property...

Click Me...

Estrela...

Rebelde...

Welcome....Ki

Amores...

Poucas Palavras...

Bolota Luminosa...

O Amor...

Pelos teus olhos...

Guerra...

Calor Frágil...

Nas Nuvens...

Escultura...

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007