Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2008

Quando era puto...

.

.

„Quando era puto“

 

 

 Aquela casinha escondida

Onde o sol passava

E não me aqueçia…

Agora é só uma lembrança

 

Quatro paredes antigas

Um quarto

Dois moveis velhos

Jesus á cabeçeira

E gritos da minha avó…

 

Quando acordava de manhã

Com os olhos secos do frio da noite

Laváva a cara a dormir

E uma gota e um sonho

Caíam no chão

 

Quanta estrada a pé que andava..

Com chuva e com sol

E depois na escola…

Falava do Pá….

 

Depois voltava para casa a correr

Com o coração mais doce

Eu um pobre rico…

De felicidade

 

Brincava com um amigo á guerra

Mas sem pistolas

Só com uma bocado de páu

E quem perdesse…

Pagava com berlindes..

 

Aquéla fonte mais alta que eu

Onde quando eu bebia

Me molhava os sapatos

Agora é só uma lembrança…

 

Um bloco e um lápis

Davam-me a esperança

E eu sentia nos dedos

Que queria escrever…

 

Grande moralista o meu avô

Que queria mudar o governo sózinho

E a minha avó sempre mais velha

Passava o tempo todo…

A falar com Cristo

 

Dias prisioneiros da liberdade

Dias sem caminhos para caminhar

Dias de um fato somente

Que se esperasse pelo Natal...podia vesti-lo

Dias que jà não voltam mais

Dias que pertençem á minha vida

Dias coloridos e difíceis

Onde um bocado de pão..

 

Era o prato preferido…

 

 

Mané

 


publicado por Frágil às 19:05
link do post | favorito
De Su a 1 de Fevereiro de 2008 às 19:19
Ao ler o teu texto revivi momentos da minha infância...não tivemos uma infância muito diferente.
Recorda as dificuldades que os meus pais passaram para criar seus filhos,mas eram dias de tanta alegria,um casa farta de sorrisos de crianças e bastantes tracanices.
Recordo o meu avô,que teimava em me apanhar para me dar uns acoites.
As brincadeiras aos cowboys e indios,o jogo do elástico que eu tinha roubada á minha mãe das cortinas lá de casa.
Ao fim do dia a espera do meu pai do trabalho,para me dar umas aulas de dança e cambalhotas.
Momentos esses que sinto um orgulho enorme,que fizeram de mim a pessoa que hoje sou.
Não deixes nunca morrer essa criança que ainda existe dentro de ti.

Bom fim-de-semana.
Beijos na doce magia da Amizade.


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


favoritos

*Laura c`è*

*Chamem a Policia*

*QUEEN*

*Vigaro cá Vigaro lá*

*Perfume Patchouly*

*Grease*

*Just an Illusion*

*Help*

Um anjo da guarda em carn...

Amar é....

pesquisar

 

Posts recentes

A cor das minhas palavras...

„Amores longuinquos“...

Pelos teus Olhos I...

Sexo...

Sem sentido...

Silêncio...

O Amor és TU...

As minhas lágrimas...

Corações fortes...

Amor em plena liberdade.....

A voz da razão...

Carta de Amor Xaparrense....

Carta de desamor, O Amor ...

Nós Romanticos...

Palavras...

Apocalypse...

O sabor de um beijo...

O Infinito...

"Regresso" (2)

O Regresso...

Neste mundo de ladrões...

As Mulheres sabem...

Em órbita...

A quatro olhos...

Com tudo o que temos mais...

Palavras perdidas...

Memories I...*Os dias do ...

Ausente/Presente...

Falta de Tempo...

PARABÉNS

Curta-Metragem...

Guilty pleasures ...

Onde nasce Sol...

Deixa-me RiR...

"Memoria em 6 palavras"

Ma...

Private Property...

Click Me...

Estrela...

Rebelde...

Welcome....Ki

Amores...

Poucas Palavras...

Bolota Luminosa...

O Amor...

Pelos teus olhos...

Guerra...

Calor Frágil...

Nas Nuvens...

Escultura...

Arquivos

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007